voltar

SESC PINHEIROS RECEBE CONCEPÇÃO OPERÍSTICA DE
 “A CANÇÃO DA TERRA”, DE GUSTAV MAHLER, COM DIREÇÃO CÊNICA DE YOSHI OIDA

Considerada a obra mais importante do compositor de origem austro-húngara, chega ao Teatro Paulo Autran a partir de 16/12 sob regência da maestrina Érica Hindrikson, que vai comandar a Ensemble Instituto Fukuda

Com realização do Sesc São Paulo e apoio da Fundação Nacional de Artes – Funarte e Fundação Japão, o Sesc Pinheirosapresenta a montagem de “A Canção da Terra” (“Das Lied Von der Erde”, em alemão), de Gustav Mahler,com direção cênica do ator e diretor teatral de renome internacional YoshiOida. A obra será encenada em dez récitas, nos dias 16, 17, 19, 20 de dezembro e 5, 6, 7, 12, 13 e 14 de janeiro. Nominada pelo consagrado compositor de origem austro-húngara Gustav Mahler (1860-1911) como a Sinfonia da Voz, é composta por um ciclo de6canções em uma simbiose profunda com os conflitos existenciais do próprio compositor e seu ceticismo em relação à vida. A peça é baseada em poemas chineses de Tai–Po, Tchang–Tsi, Mong–Kao–Yen e Wang–Wei, entre outros poetas do século 13.

Os poemas retratam as antíteses constantes da beleza à vida, da beleza da natureza, e da própria Terra, em contraponto à solidão, nostalgia, melancolia e a morte como destino final de tudo.

YoshiOida, renomado ator japonês radicado em Paris, concebe a direção cênica alinhando elementos orientais numa sinergia entre a música sinfônica e as interpretações do tenor Miguel Geraldie da soprano MasamiGanev,em diálogo com a performance dos atores Fabrício Licursi, Gum Tanaka, Jimmy Wong eToshi Tanaka, que interpretammonges budistas. Com cenário e figurinos de Tom Schenk, ambientado em um jardim zen de um templo budista onde a perfeição e linearidade cênica idealizadas por Oida dá vida à criação desta obra introspectiva, melancólica e reflexiva deMahler.

Sob regência da maestrina Érica Hindrikson e coordenação musical de Ricardo Fukuda, diretor musical do Instituto Fukuda, o Ensemble Instituto Fukudareúne músicos com vasta experiência orquestral, responsáveis pela interpretação da complexa dimensão sinfônica de “Das Lied Von der Erde”.

Somada àsua vivência e formação no secular teatroNoh japonês,Oida traz ao palco do Sesc Pinheiros muito da sua experiência adquirida nos diversos teatros em que atuou pelo mundo, e principalmente pelos muitos anos que esteve trabalhando no cinema e no teatro com o autor e diretorbritânico Peter Brook.

 

Sobre o elenco:

 

YOSHI OIDA

 

Nascido no Japão,é ator, diretor e autor radicado em Paris. Teve formação no teatro tradicional japonês antes de ir para França, em 1968, onde integrou o grupo de Peter Brook, participando de muitos dos seus espetáculos mais importantes. Alguns anos depois começou a dirigir peçase óperas no mundo todo, usando uma combinação única das técnicas orientais e ocidentais. Oida é aquilo que seu mais conhecido livro sugere em seu título: um ator errante. Reconhecido como um dos principais colaboradores do encenador inglês Peter Brook por meio das diversas peças que fizeram juntos, mas também pelos filmes em que participou, como na versão cinematográfica do “O Mahabharata”, do próprio Brook, além de “O Livro de Cabeceira”, de Peter Greenway, e mais recentemente“Silêncio”, de Martin Scorcese. Seus livros sobre técnicas de interpretação, “Um Ator Errante”, “O Ator Invisível” e “Artimanhas do Ator”, tornaram-se antológicos e foram traduzidos em diversas línguas. Aclamado na França, foi condecorado com os títulos de Chevalier (1992), Officier (2007) e Commandeur (2013) de l'OrdredesArts et Lettres.

 

ÉRICA HINDRIKSON

 

Maestrina, natural de São Paulo, teve como principal orientador o maestro Eleazar de Carvalho. Formada em Composição e Regência pela Unesp, foi a única brasileira selecionada para o curso latino americano da OEA/El sistema, na Venezuela, além de vencer importantes concursos latino-americanos. Já esteve à frente de grandes orquestras, como a Sinfônica Municipal de São Paulo, Sinfônica da USP, Sinfônica de Piracicaba, de Câmara de Curitiba, Sinfônica do Chile, Sinfônica de Lara e de Los LlanosOccidentales (Venezuela), de Câmara Guaireña (Paraguai), entre outras. Trabalhou como maestrina na Orquestra Experimental de repertório, Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, Coral Lírico do Theatro Municipal de São Paulo e, atualmente, rege a Orquestra Sinfônica Jovem Municipal, da Escola Municipal de Música de São Paulo, na qual também integra o corpo docente.

 

ENSEMBLE INSTITUTO FUKUDA

 

Do encontro entre músicos renomados no Brasil e exterior e o Instituto Fukuda, entidade com mais de 50 anos de trabalho no ensino de música na área de cordas, nasce o Ensemble Instituto Fukuda. O Ensemble é composto por músicos com formação em instituições diversas, como o Conservatório de Genebra, Universidade de Hamburgo, Conservatório Superior de Paris. Diversos deles conquistaram premiações em concursos de âmbito nacional e internacional. Os profissionais trabalham no Instituto Fukuda e em orquestras, como a Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP), Sinfônica do Theatro Municipal de São Paulo (OSM), Sinfônica da Universidade de São Paulo (OSUSP) e Filarmônica Bachiana SESI-SP.

 

RICARDO FUKUDA

 

Começou seus estudos musicais aos 7 anos de idade com violino, sendo orientado pelo seu tio Yoshitame Fukuda e, mais tarde, com Erich Lehninger. Anos depois, escolhe o violoncelo, prosseguindo seus estudos com ZygmuntKubala na Escola Municipal de Música, continua sua formação com Watson Clis, aperfeiçoando-se com JedBarahal, Richard Markson e David Chew. Foi semifinalista no III Concurso Eldorado de Música, indicado para uma bolsa na Academia da Filarmônica de Berlim (Fundação Karajan) e vencedor do concurso jovem solista da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo.Integrou a Camerata Fukuda, foi concertino da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo, fez parte do corpo docente do Festival de Campos doJordão, diretor do Festival deMúsica Clássica de São José do Rio Preto durante quatro edições.Atualmente, é spalla dos cellos daBachiana Filarmônica SESI-SP, professor da Escola Municipal de Música de São Paulo, professor do Instituto Bacarelli, professor e diretor artístico do Instituto Fukuda.

 

MASAMI GANEV

 

É soprano, natural do Japão, vive no Brasil desde 1997. Estudou com Neyde Thomas, Eiko Senda, Samira Hassan, Alberto Heller e Rafael Andrade. Cantou papéis variados, como Cio-Cio-san (“MadamaButterfly”), Mimi (“LaBohéme”), Micaela (“Carmem”), Flora (“La Traviata”), Giovanna (“Rigoletto”), entre outras. Apresentou-se, ainda, com a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo (John Neschling, Eduardo Strausser), Orquestra Sinfônica do Paraná (Alessandro Sangiorgi, Osvaldo Ferreira), Orquestra Sinfônica de Minas Gerais (Gabriel Rhein-Schirato), Orquestra Sinfônica de Santo André (Abel Rocha), entre outras.

 

MIGUEL GERALDI

 

É tenor, iniciou seus estudos com GledysPierri e se aperfeiçoou com Neyde Thomas. Foi vencedor do V Concurso Carlos Gomes, II Concurso Aldo Baldin e do III Concurso Internacional de Canto BiduSayão. Atuou em orquestras como OSESP, Sinfônica Municipal de SP, Experimental de Repertório, Sinfônica do Paraná, Filarmónica de Bogotá e Orquestra Sinfônica de Chieti (Itália), sob a regência de maestros como John Neschiling, Walter Polischuk, Ira Levin, José Maria Florêncio, Mario Zaccaro, Jamil Maluf, Emiliano Patarra, Luciano Camargo, Edmundo Hora, Roberto Di Regina, Reynaldo Censabela e Alessandro Sangiorgio, Hirofumi Yoshida, GioigioPaganini, Roberto Duarte, Abel Rocha, Daisuke Soga, dentre outros.

 

E dos atores que interpretam os monges :

 

TOSHI TANAKA

 

É performer fugaku, uma arteque busca a origem da vida. É professor de Seitai-ho e Do-holicenciado no Instituto de Pesquisas de Educação Corporal. Nasceu em 1960, em Tóquio. Em1979, começou atividade artística, colaborando com diversos artistas em campos multidisciplinares. Em 1994, imigrou ao Brasil e, em 1996, criou o núcleo Fu BuMyo In, que orienta até hoje. Desde 2001, coordena o Jardim dos Ventos, um projeto que propõe integrar a vida, natureza e arte por meio da prática Do-ho. Também é professor do curso de Comunicação e Artes do Corpo na PUC-SP com notório saber em performance.

 

FABRÍCIO LICURSI

 

Ator, bailarino e diretor de movimento. Há dez anos investiga as técnicas de educação somática como ponto de partida para a dança e o teatro. É formado pelo método do Estúdio Nova Dança/SP, tendo como formadoras Cristiane Paoli Quito, Lu Favoreto e bailarinos da Cia Nova Dança 4. É parceiro de criação dos diretores e autores Rafael Gomes e Vinicius Calderoni, na Companhia Empório de Teatro Sortido. Trabalhou com Francisco Medeiros, Alice K, Leonardo Moreira, entre outros. Atualmente, integra a Formação Credenciada do BMC (BodyMindCentering) Brasil.

 

GUM TANAKA

 

Dançarino e videomaker, discípulo de Toshi Tanaka, cresceu praticando Do-ho. Em 2006, integrou o núcleo Fu BuMyo In, participando como performerdeLua nova, Caminho da luae do projeto Tabibito – Viajante. Como videomaker,participou dos projetos Kaze – Vento e Corpo de Vento, ambos contemplados pelo Fomento de Dança em São Paulo. Também participou deFestivais Internacionais de Performance realizados em Hong Kong, Xiamen e Xian na China.

 

JIMMY WONG

 

Ator e bailarino, é formado pela Fundação das Artes de São Caetano do Sul, em 2006. Como ator, trabalhou com importantes diretores do teatro paulista e diretores de dança internacionais, como KoMurobushi (Japão), TadashiEndo (Japão/Alemanha), Cacá Carvalho e André Garolli. Integrou o elenco da Cia. Triptal entre 2010 e 2012, integrou a Casa Laboratório dirigido por Cacá Carvalho de 2012 a 2013. Atualmente, integra a EmCia,na qual desenvolve seus trabalhos e pesquisas em teatro e dança.

 

Cenógrafo e figurinista:

 

TOM SCHENK

 

Nasceu em 1951, na Holanda. Após uma breve carreira em dança, começou a trabalhar com cenografia em 1976, inicialmente para balés, atuando com nomes como Jiri Kylian e William Forsythe. Logo após começou a trabalhar com grandes nomes do teatro holandês e teatros internacionais, como Schaubühne Berlin, MünchnerKammerspiele, BayrischesStaatsschauspiel München, Volkstheater Wien, dentre outros. Com YoshiOida, criou um grande número de óperas na França, Inglaterra, Áustria, Itália, República Tcheca, Canadá, Suécia, Finlândia e Japão.

 

Iluminador:

 

HENRY VAN NIEL

 

Nasceu em 1956 em uma pequena cidade perto de Haia, na Holanda. Sua paixão por teatro veio desde cedo, começando sua carreira como técnico e designer de luz há mais de trinta anos, após uma breve carreira como engenheiro. Foi contratado pelo Apple Theatre, de Haia, como técnico e designer de luz e criou iluminação para todos os tipos de produções, de teatro clássico a moderno, passando por óperas, tanto em palcos italianos como em locações não- convencionais, com uma série de diretores e cenógrafos holandeses e internacionais.

 

Assistente de direção:

 

SAMUEL VITTOZ

 

Formado pelo Conservatório Nacional Superior de Artes Dramáticas em Paris, é, desde 2009, o criador e diretor artístico do festival Un Festival à Villeréal, no sudoeste da França. Seu trabalho passa pelo teatro e pela dança e sua colaboração como assistente de direção do YoshiOida vem desde 2009, em diversas produções, com destaques para “Don Giovani”, de Mozart, “La Nuit de Gutenberg”, de Manory e “Os Pescadores de Pérolas”, de Bizet.

 

SERVIÇO

 

“A CANÇÃO DA TERRA” de Gustav Mahler

COM DIREÇÃO DE YOSHI OIDA

 

Dias 16, 19, 20 de dezembroe 5, 6, 12, 13 de janeiro, às 21h.

Dias 17 de Dezembro, 7 e 14 de janeiro. Domingo, às 18h.

Local: Teatro Paulo Autran (1.010 lugares)
Ingressos: R$ 60 (inteira), R$ 30 (meia: estudante, servidor de escola pública, + 60 anos, aposentados e pessoas com deficiência) e R$ 18 (credencial plena do Sesc: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes).

Duração: 1h20

Recomendação etária: 14 anos

 

Endereço: Rua Paes Leme, 195.

Bilheteria: Terça a sábado das 10h às 21h. Domingos e feriados das 10h às 18h.
Tel.: 11 3095.9400.

 

Estacionamento com manobrista: Terça a sexta, das 7h às 21h30; Sábado, das 10h às 21h30; domingo e feriado, das 10h às 18h30. Taxas / veículos e motos: Credenciados plenos no Sesc: R$ 12 nas três primeiras horas e R$ 2 a cada hora adicional. Não credenciados no Sesc: R$ 18,00 nas três primeiras horas e R$ 3 a cada hora adicional. Para atividades no Teatro Paulo Autran, preço único: R$ 12 (credenciados plenos) e R$ 18 (não credenciados).

Transporte Público: Metrô Faria Lima – 500m / Estação Pinheiros – 800m

 

Assessoria de Imprensa Sesc Pinheiros

Com Baobá Comunicação

Felipe Brito

Contatos: (11) 3482-2510

felipe@baobacomunicacao.com.br

Poliana Queiroz

Contatos: (11) 3095.9446

imprensa@pinheiros.sescsp.org.br

 

Sesc Pinheiros nas redes

Facebook, Twitter e Instagram: @sescspinheiros

voltar