voltar

BLTA ENCERRA APRESENTA NÚMEROS DA HOTELARIA DE LUXO NO PAÍS E LANÇA CONCURSO QUE INCENTIVA A ADOÇÃO DE PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS

 

Sempre trabalhando a favor do amadurecimento do segmento de viagens de alto padrão no país, a BLTA (Brazilian Luxury Travel Association) – a primeira e única associação totalmente dedicada ao turismo de luxo brasileiro – encerrou, em São Paulo, seu Roadshow Nacional, que passou, antes da capital paulista, por Brasília e Porto Alegre.

Durante o evento, realizado no Hotel Unique, a BLTA apresentou resultados do estudo do Anuário de Turismo de Luxo, realizado em parceria com o Centro Universitário Senac. Para a diretora executiva da associação, Simone Scorsato, o aprofundamento, a pesquisa e a busca por aprimoramento são uma preocupação constante dos associados, que enxergam no conhecimento e no associativismo um caminho natural para uma economia solidária e efetivamente sustentável.

Segundo dados do estudo, 2017 registrou uma retração do mercado internacional enquanto observou um aumento do nacional, mas, ainda assim, os 36 associados faturaram, ano passado, R$ 666 milhões. Apesar de redução, em torno de 8% em relação a 2016, o ano de 2018 se apresenta com boas perspectivas para o segmento conforme informações do professor do Centro Universitário Senac, Ubiratam Pereira, responsável pelo estudo. O Ministério do Turismo (MTur) já registrou um aumento de 6% nos gastos dos turistas no primeiro semestre deste ano e, com a valorização da moeda americana, o Brasil se torna um destino atrativo, seja para os turistas estrangeiros, seja para os próprios brasileiros. Outros fatores, como a recuperação da economia, embora ainda lenta, também contribuirão para um melhor desempenho desse segmento.

Na ocasião, a diretora executiva da BLTA destacou, ainda, outro índice que baliza esse segmento: “Apesar da redução no volume de estrangeiros, o número de funcionários que os empreendimentos de luxo mantêm é de extrema relevância. Temos, em média, 2,7 funcionários para cada Unidade Habitacional, enquanto na hotelaria tradicional esse número é menor do que 1. Isso exemplifica, claramente, que este é um setor que, além de gerar alta taxa de empregabilidade por conta da necessidade de se oferecer excelência em serviços, promove a melhor imagem do Brasil como destino turístico, uma vez que o hóspede deste segmento é extremamente exigente e engajado”, afirma Simone.

Ainda de acordo com o estudo, o perfil dos visitantes dos empreendimentos hoteleiros de luxo da BLTA é constituído, majoritariamente, por brasileiros (65%), seguido por europeus (17%), norte-americanos (12%) e latinos (5%). Em relação aos aspectos motivadores das viagens de luxo, no Brasil elas estão mais focadas em lazer (76%), negócios e eventos corporativos (11%), eventos sociais (7%) e festas e eventos (6%). Vale destacar que 40% das reservas ocorrem no balcão, enquanto 19% via OTA (Online Travel Agency), 17% por operadoras e outros 17% via agente de viagem.

A grande motivação de viagem é a atividade de lazer e recreativa. “O que se percebe é que o hóspede se torna cada vez mais autônomo na escolha de seus destinos, negociando diretamente a sua hospedagem e menos dependente de terceiros para o planejamento de sua viagem”, explica o professor do Centro Universitário Senac. E, segundo ele, isso deve ser melhor observado por parte dos empreendimentos hoteleiros, especialmente no momento de decidirem suas estratégias de marketing, que podem favorecer, ainda mais, a procura desses novos destinos e novas experiências.

Quanto ao tempo médio de hospedagem, a maioria (63%) permanece por 3 diárias, 29% dos clientes de 4 a 7 diárias e 6%, mais de 7 diárias. Já em relação às demandas dos hóspedes em relação aos hotéis, alguns itens mostram-se prioritários: alimentação (91%), SPA (69%), relax (53%) e passeios náuticos (34%). Entre os serviços mais solicitados, banda larga (72%), traslado / pacotes de experiências (72%) e cardápio especial (50%).

Em relação às Operadoras associadas que trabalham com Receptivo (Inbound), 64% dos turistas são estrangeiros (40% da Europa e 24% da América do Norte). Complementarmente, 90% deles viajam de forma individual, com um período de permanência de até 7 dias (43%) e de 8 a 14 dias (39%).

 

Prêmio de Sustentabilidade

 

Dados da pesquisa realizada em parceria com o Senac também indicam que 56% dos associados possuem algum tipo de projeto que envolve a comunidade local, sendo que 35% deles focados na conservação e meio ambiente, 30% na comunidade e 20% na educação. A partir desses números, e sob a premissa de estimular ainda mais esse engajamento, a associação anunciou o Prêmio Sustentabilidade BLTA. A iniciativa irá premiar os melhores projetos focados em práticas sustentáveis dirigidas aos aspectos social, ambiental e econômico. As inscrições vão até 15 de outubro e o prêmio será entregue no final de novembro, durante a Assembleia Geral da BLTA.

 

Sobre a BLTA

 

A BLTA (Brazilian Luxury Travel Association) foi criada em 2008 por um grupo de empresários que identificou a necessidade de se unir de forma institucional a fim de desenvolver o segmento de turismo de luxo no Brasil. Atuante no mercado nacional e internacional por meio de ações institucionais, comerciais e promocionais de forma associativa ou por meio de parcerias, o principal objetivo da BLTA é a promoção e fortalecimento do Brasil como destino turístico para o mercado de luxo mundial. A BLTA soma 36 associados, um grupo formado por exclusivos hotéis, resorts, pousadas e operadoras de viagens brasileiras que têm o objetivo de promover experiências autênticas, sofisticadas e sustentáveis no país. Alguns dos parceiros da BLTA são a Embratur, o Senac, a SOS Mata Atlântica e as Embaixadas do Brasil no exterior.

voltar